O FC Porto atrasou-se em relação ao líder Sporting CP e ao segundo classificado SL Benfica, ao perder por 1-0 no terreno do Vitória SC. Um golo madrugador, da autoria de Bouba Saré, na sequência de um erro de Iker Casillas, definiu o desfecho da partida no Estádio D. Afonso Henriques. Até ao final o domínio portista foi intenso, mas totalmente inconsequente. Esta segunda derrota dos “dragões” na Liga NOS deixa-os a cinco pontos dos “leões” e a três das “águias”.

Liga NOS 2015/16 - Jornada 18 - Vitória SC vs Porto
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Após uma semana em que muito se falou da possibilidade de o treinador do V. Guimarães, Sérgio Conceição, assumir o leme da equipa do FC Porto, o interesse sobre esta partida ganhou ainda mais força. Quem esperava um bom jogo de futebol enganou-se. Foi atabalhoado, desinspirado e só um erro de Casillas, que não segurou uma bola alta que vinha enrolada, permitiu a Saré dominar, virar-se e bater o espanhol. E foi pouco mais o que os vimaranenses conseguiram. No primeiro tempo, os homens da casa terminaram com apenas 23% de posse de bola, mas somaram, ainda assim, quatro remates (um à baliza), apenas menos dois que o dominador FC Porto.

O segundo tempo aprofundou esta tendência, com os minhotos a registarem a mesma posse, mas sem conseguirem realizar um único remate ao longo de 45 minutos, e quedaram-se pelos 51% de passes certos. Ao invés, os portistas alcançaram um total de 13 remates, mas apenas conseguiram mais um enquadrado, para um total de três. Algo que explica bem a inoperância ofensiva.

Danilo só não chega

Em jogo pobre, de muita luta e no qual o FC Porto dominou territorialmente em toda a linha, a equipa de Rui Barros muito pode agradecer a Danilo Pereira o facto de o V. Guimarães pouco ter tido a bola em seu poder. O “trinco” portista foi dos mais interventivos em campo, com 87 toques na bola; ganhou 66,7% de 21 duelos individuais, realizou sete recuperações, somou cinco desarmes e, quando em posse, acertou 90,6% das 64 entregas que realizou. E ainda fez dois passes para ocasião. Foi, portanto, o homem do jogo com base no GoalPoint Ratings, com uma pontuação de 6.7. É, aliás, a segunda distinção consecutiva de Danilo como melhor em campo.

É certo que o FC Porto não acertou muitas vezes com a baliza vitoriana, apenas três, mas nessas ocasiões o guarda-redes Miguel Silva esteve em plano de evidência, com intervenções de qualidade. O jovem guardião, uma das cinco revelações GoalPoint da primeira volta da Liga NOS 2015/16, somou por isso 6.2 no GoalPoint Ratings, um pouco acima dos 6.07 de média alcançados até este jogo na prova. Muito bem!

Nota: Os GoalPoint Ratings resultam de um algoritmo proprietário desenvolvido pela GoalPoint que pondera exclusivamente o desempenho estatístico dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana. Clique para saber mais.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: O JOGO COMO O VIMOS