O Vitória de Guimarães aguentou a pressão do FC Porto e empatou, em casa, com os campeões nacional sem golos, completando assim os confrontos com os “dragões” na Liga com o registo de um triunfo (fora) e um empate. Fundamental para o ponto conquistado foi o “trinco” Alhassan Wakaso, que varreu por completo a zona em frente à sua grande área.

Wakaso-desarmes-Vitoria-Guimaraes-Facto-do-Dia-1-infog
Clique para ampliar

O jogo não foi fácil para os vimaranenses, que tiveram de lidar com o domínio portista e uma pressão atacante intensa, que valeu aos visitantes 22 remates, embora só seis enquadrados. A dificultar a tarefa aos “dragões”, Wakaso esteve muito bem nos desarmes, registando 11, que bateram o anterior máximo de dez de Edson Farias, fixado ante o Sporting, em Alvalade, em partida da quarta jornada. Em terceiro, empatados, com nove, estão Gustavo Cascardo (Vitória FC, em casa com o Chaves), Gedson Fernandes (Benfica, na visita ao Nacional) e Zakarya Bergdich (Belenenses, em casa do Sporting).

A caminho deste registo, Wakaso cometeu, igualmente, sete faltas, integrando uma longa lista de jogadores com o mesmo número de infracções num jogo da Liga NOS 2018/19, menos uma que o máximo de oito, pertencente a Ângelo Neto, do Moreirense, e Frédéric Mendy, do Vitória FC.

Também a realçar neste jogo as nove más recepções de bola por parte de Moussa Marega. O maliano saiu lesionado aos 77 minutos, mas já havia igualado o máximo deste detalhe pouco desejado.