GoalPoint-Man-City-Wolves-English-Premier-League-201920-Ratings
Clique para ampliar

O Wolverhampton foi ao Etihad Stadium vencer o campeão inglês Manchester City por concludentes 2-0. A formação orientada pelo português Nuno Espírito Santo, que apresentou Rui Patrício, Rúben Neves, João Moutinho e Rúben Vinagre no “onze” inicial, mostrou uma objectividade e uma eficácia irresistíveis perante um dominador City, que terminou a partida com 76% de posse de bola – 81% na segunda parte -, mas foi incapaz de marcar e deu espaços na retaguarda, aproveitados com mestria pelos “lobos”.

Os números finais são esclarecedores. A equipa de Guardiola – que actuou com João Cancelo do lado esquerdo da defesa e lançou Bernardo Silva na segunda parte – rematou sempre mais e foi melhor em praticamente todos os principais momentos de jogo, mas o Wolves precisou de somente sete remates e dois enquadrados para bisar, golos “a papel químico” de Adama Traoré, isolado em ambas as situações perante Ederson após assistências primorosas do ex-benfiquista Raúl Jiménez. Ao invés, os “citizens” remataram 12 vezes na etapa complementar e não acertaram uma única vez com a baliza de Rui Patrício.

Traoré foi, sem surpresa, o MVP da partida. Para além dos dois golos nos dois únicos remates que realizou, o extremo criou uma ocasião flagrante, completou três de seis tentativas de drible e ainda somou oito acções defensivas, terminando com um GoalPoint Rating de 8.2.