-

Que noite de Nuno Santos, o craque que um dia foi abordado pela “Marmite”… de João Palhinha. O Sporting bateu o Arouca por 2-1 nas meias-finais da Allianz Cup e chegou pela sétima vez à final da competição, um feito que acaba por ser normal. Já a exibição de Santos essa foi tudo menos banal. O ala leonino realizou uma partida fantástica, quiçá a melhor da carreira, e conseguiu algo que nenhum jogador do emblema de Alvalade havia alcançado desde que há GoalPoint. Sobre o jogo de Santos escrevemos o seguinte:

“O ala canhoto fez um ‘jogaço’ e iluminou a presença leonina na final. Sempre ligado à corrente, esteve envolvido em diversas acções e protagonizou um jogo de alto calibre, como atestam os nossos dados. Autor de quatro remates (metade enquadrados), assistiu Paulinho para o tento inaugural, criou ainda mais duas ocasiões flagrantes de golo (foram três no total), chegou aos 11 passes para finalização (número que não está ao alcance de todos), criou 11 passes progressivos, acumulou três acções com a bola na área do opositor, quatro passes super progressivos e acertou metade dos seis centros que arriscou. Uma exibição perfeita que justifica a nota máxima, um excepcional e restrito GoalPoint Rating de 10.0o primeiro de sempre de um jogador ao serviço do Sporting e muito bem entregue a um futebolista cronicamente subvalorizado por adeptos, analistas, opinadores e, pelos vistos, pelo mercado.

Os elogios do GoalPointer Leonel Gomes não foram nem um pouco exagerados. O 10.0 de Nuno Santos, o primeiro de um “leão”, ganha um relevo ainda maior por ter sido conseguido sem que tivesse apontado qualquer golo. A questão é pertinente e habitual entre quem nos segue: “Então marcou três golos e só teve um 9.0? Se fosse o [colocar aqui um nome à escolha]…”. O rating do Antunes não olha apenas para o óbvio. São cerca de 260 as variáveis que comporta na sua avaliação e a exibição de Nuno Santos é um bom exemplo de que a qualidade de jogo é bem mais ampla e abarca todos os seus momentos. E o ala esteve verdadeiramente arrasador em vários:

  • O Sporting totalizou 25 remates frente ao Arouca, um registo generoso. Desses, 15 saíram directa ou indirectamente dos pés de Nuno Santos ou seja, ou rematou ou entregou o passe que permitiu o remate.
  • Nuno Santos criou 1,31 Expected Assists (xA), mais num só jogo do que 72% dos 236 jogadores (excepto guarda-redes) que disputaram mais de 500 minutos na Liga bwin 22/23 em toda a primeira volta;

[ A assistência de Nuno Santos para o golo de Paulinho ]

  • Nuno criou três ocasiões flagrantes, valor igualado ou ultrapassado por outro jogador em apenas sete jogos da Liga bwin, quatro na Premier League, seis na Serie A, seis na Bundesliga, cinco na La Liga e seis na Ligue 1. São três potenciais assistências (no mínimo, pois a maioria das assistências em futebol não surgem associadas a passes para ocasião flagrantes), uma concretizada, sendo que as outras duas não o foram, não por responsabilidade de Nuno Santos, mas por inabilidade de quem finalizou;
  • Ainda olhando para as Ligas Top 6, nenhum jogador conseguiu realizar 11 passes para finalização na época em curso, como Nuno Santos fez ante o Arouca. Quem ficou mais perto foi Rayan Cherki, francês do Lyon, que realizou dez ante o Strasbourg, e com nove temos Bruno Fernandes, ante o Tottenham, em casa, e Julian Brandt, do Dortmund, na visita ao Wolfsburg. Pedro Porro (mais uma vez), na última partida ante o Vizela, lidera em Portugal com Kanya Fujimoto, do Gil Vicente, na recepção ao Portimonense, ambos com oito;

[ Os 11 passes para finalização (à esquerda) e as três ocasiões flagrantes criadas por Nuno Santos ante o Arouca ]

  • Além da assistência para o 1-0, Nuno Santos também tentou o golo, registando quatro remates, dois deles enquadrados, três deles realizados de fora da grande área. Foi o segundo mais rematador em campo.
  • O ala registou ainda 11 passes progressivos e quatro super progressivos e acumulou seis cruzamentos de bola corrida, tendo três deles sido eficazes.

Época de total afirmação

[ O desempenho acumulado de Nuno Santos na Liga bwin 22/23 ]

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-Nuno-Santos-infog

“Underrated”, ou subvalorizado, para os puristas da língua de Camões. Esta é uma constatação que já o fizemos antes em relação a Nuno Santos e que se vê claramente na (até agora) total ausência de aposta no jogador para a Selecção Nacional, os ténues destaques que comunicação social e comentadores dão ao esquerdino e até a pouca valorização dada pelo mercado, com notícias a referirem o interesse de clubes europeus no ala por módicos €10M, curiosamente o valor de mercado dado pelo Transfermarkt.

Nuno Santos tem sido, talvez, o principal jogador leonino esta temporada, por tudo aquilo que dá à equipa defensivamente, mas também ofensivamente, com intensidade, entrega, golos, assistências, inteligência nas decisões. Tendo em conta todas as competições, o ala é o jogador leonino com melhores desempenhos acumulados e, a continuar assim, corre o risco de ser mesmo a figura leonina da temporada. 

Pedro Tudela
Pedro Tudela
Profissional freelancer com mais de duas décadas de carreira no jornalismo desportivo, colaborou, entre outros media nacionais, com A Bola e o UEFA.com.